Você já ouviu falar em termos como: “Serviços em Nuvem”, “Big Data“ e “Internet das Coisas”? Parecem expressões bem distantes do dia a dia da estrada e dos caminhões. Mas o curioso é que, cada vez mais, elas vão fazer parte do cotidiano, contribuindo para um melhor desempenho dos veículos e para uma maior produtividade nas entregas do frete.

Quando a gente fala em caminhões conectados, todas essas palavras podem ser consideradas. Mas qual a diferença que toda essa tecnologia traz para a estrada? Uma das principais mudanças são as paradas imprevistas. Pelas redes telemáticas, a concessionária já consegue identificar se o caminhão precisa de algum ajuste e se essa manutenção pode ser feita previamente sem comprometer a jornada de trabalho. De acordo com um estudo feito pelo departamento de Pesquisa e Tecnologia Avançada da Volvo, oito de cada dez paradas imprevistas poderiam ter sido evitadas se a manutenção fosse mais dinâmica e realizada de acordo com a condição de cada veículo.

Toda essa tecnologia é para entender melhor o desempenho e as necessidades de cada caminhão. Se as informações específicas do modelo forem enviadas constantemente para as concessionárias, fica mais fácil e rápido na hora das revisões. Hoje, a Volvo já consegue monitorar o desgaste de peças como filtros de ar, baterias, freios e embreagens em alguns veículos por meio dos dados que chegam pelas redes telemáticas.

O número de caminhões conectados está aumentando e a produtividade deles também. A Volvo pensa no futuro por meio de diversos projetos de pesquisa sobre conectividade e muitas novidades já estão aparecendo por aí.

Fonte: Eu Rodo.