Viajar pelo Brasil e rodar pelas diversas estradas que cortam o país é uma das vantagens de ser motorista de caminhão. Existem momentos em que o trabalho na rodagem é tranquilo pela falta de trânsito. Já em outros, a habilidade e paciência do condutor são colocadas em teste.

A principal queixa dos estradeiros com os motoristas de outras máquinas é em relação à imprudência nas rodovias. Quem está no volante de um automóvel ou em cima de uma moto está mais rápido que um cargueiro, e nem sempre tem paciência para aguardar o momento certo para ultrapassar o bruto. Os caminhões custam a ganhar velocidade por causa do volume de carga e não podem fazer desvios repentinos para evitar acidentes com a mesma velocidade de um veículo menor.

Na regra informal do trânsito, “o maior cuida do menor”. Por isso, é importante que o motorista de caminhão seja um exemplo de boa condução, respeitando os demais condutores na via e auxiliando quando possível. Este auxílio pode vir na sinalização de redução de velocidade, na distância segura do veículo à frente, ou no uso do pisca alerta para avisar a possibilidade de ultrapassagem ao motorista que está atrás.

Caso ocorra algum ato de imprudência ou de provocação, o motorista profissional deve manter a calma e o foco em conduzir seu cargueiro com prudência. Caso o comportamento do condutor seja excedente (como andar em zigue-zague, fazer “quebra de asa”), informe a Polícia Rodoviária Federal pelo telefone 191, ou a Polícia Rodoviária Estadual pelo 198.