Dirigir um bruto pelas estradas do Brasil exige uma boa saúde de quem está no comando. Afinal, por mais moderno que seja o seu caminhão, você é o responsável por guiá-lo com prudência e segurança até seu destino. Mas ninguém é de ferro, e uma noite mais fria no trecho pode resultar em um resfriado no dia seguinte. Nada que um analgésico e um antitérmico não resolvam, certo? Mais ou menos…

O motorista deve estar sempre atento aos efeitos dos medicamentos que consome. Um remédio simples para dor de cabeça pode causar sonolência e afetar os seus reflexos na direção. Segundo pesquisa da Fundação Oswaldo Cruz, o Brasil está entre os principais consumidores de remédios do mundo.

Os remédios controlados, como antidepressivos por exemplo, recebem explicações e orientações sobre os efeitos colaterais causados, coisa que os medicamentos mais comuns, de venda livre em farmácias, não possuem.

Especialistas recomendam não utilizar estes remédios enquanto estiverem no trecho. Se a dor de cabeça for insistente, o resfriado estiver chegando, ou a dor muscular apertar, faça uma parada mais longa para tomar o devido medicamento, ou consuma antes de dormir.

Também é válido ressaltar que remédios utilizados para cortar o sono ou deixar o estradeiro menos cansado prejudicam a saúde. Além disso, possuem um efeito limitado – quando acaba, o sono volta dobrado.