A história entre os estradeiros é a mesma: enquanto o marido está no trecho, a mulher está cuidando da casa. Na casa do Ademilso da Silva, a realidade é diferente: ele e a esposa, Geisieli, são, além de marido e mulher, colegas de profissão. Os dois trabalham na mesma empresa, cada um em seu Volvo FH.

Ademilso já completa 15 anos transportando cargas pelo Brasil, cinco deles em seu FH atual. Quase o mesmo tempo em que sua esposa tem de profissão. “Eu me sinto muito lisonjeado em trabalhar com ela na mesma empresa, na mesma profissão”, conta. “Ela começou viajando comigo, e hoje segue viagem sozinha no próprio caminhão. Ela já está sentindo os efeitos da distância. Ficamos às vezes mais de 12 dias sem se ver”, explica. Para acalmar o coração, Ademilso e Geisieli utilizam a internet para conversar e combinar encontros quando as rotas e paradas no meio do trecho coincidem.

No momento em que falamos com o estradeiro, ele nos confessa estar há 30 dias fora de casa. “Neste final de semana iremos ficar de dois a três dias em casa juntos, depois cada um segue sua viagem”. O maior trajeto percorrido pelo casal foi na época em que ela acompanhava Ademilso na boléia. Foram de Santa Catarina até Amazonas, transportando verduras e produtos congelados, voltando de lá com a carga cheia de manuais de eletrônica, peixe e refrigerante. A viagem durou 11 dias!

“Nós conversamos muito sobre a profissão, trocamos experiências e descobertas. Ela é mais interessada em ir atrás das novidades, em se aperfeiçoar”, fala Ademilso, que não poupa elogios ao caminhão. “Não há o que reclamar do caminhão. Ele tem todas as funções que a gente precisa. O bruto é 100%, é mil”.