Considerado o maior projeto de construção civil da África, o Eko Atlantic tem uma proposta ousada: a construção de um bairro em uma península artificial ligada ao continente na Nigéria. Por trás do desenvolvimento da obra, uma preocupação ambiental: evitar a erosão do litoral de Lagos, uma das principais metrópoles nigerianas.

Para ajudar nesta tarefa, a empresa responsável conta com a força do Volvo FMX. Diariamente, os motoristas viajam cerca de 150km até a pedreira, para coletar blocos de granito, utilizados na construção de uma muralha de proteção a ser erguida no na fronteira do empreendimento com o mar. Ela foi projetada para resistir às piores tempestades, e seu interior está sendo preenchido com areia dragada do mar.

O trabalho dos motoristas começa às quatro da manhã quando partem do canteiro de obras rumo ao nordeste da cidade de Lagos, atravessando uma estrada de cascalho cercada por densa vegetação. Após carregar o veículo, precisam retornar e enfrentar um trânsito pesado. Já está escuro novamente quando os estradeiros chegam ao destino com a carga. Muitos aproveitam para dormir em seus brutos, pensando que às quatro da manhã, mais uma vez, precisam encarar o trecho em um serviço onde a inovação atua para mudar a geografia de uma cidade.