Quem circula pela região do Mercosul para trabalhar conhece bem a burocracia que regulamenta a transição de veículos entre países. Mais do que isso, sabe como essa burocracia se torna um entrave no cumprimento das leis quando se cruza a fronteira.

Para facilitar a vida dos motoristas, a partir de 2016 os novos veículos de Brasil, Argentina, Uruguai, Paraguai e Venezuela devem começar a receber um novo modelo de placas, único para todos os países do Mercosul. O objetivo da padronização é facilitar a passagem dos motoristas entre as divisas, aumentar a segurança nas estradas e realizar um melhor controle das infrações de trânsito.

Alguns itens ainda estão na pauta de debates, como o número de caracteres da placa (sete ou outro), ou a abrangência do seguro obrigatório para outros países (eliminando a necessidade da Carta Verde).

Caminhões e ônibus serão os primeiros a receber o novo emplacamento daqui a dois anos. Em 2018, será a vez dos carros de passeio, utilitários leves e motos.