Quem nunca passou pela situação de ter que levantar algo muito pesado e, em seguida, sofrer com dores musculares e nas costas por causa do esforço? Afinal você não está preparado fisicamente para carregar grandes pesos, e quis exceder seu limite. Com seu caminhão acontece a mesma coisa, com consequências parecidas.

Todo bruto é projetado para transportar um limite de carga. Quando este limite é excedido, o desgaste nas peças é inevitável. O motor fará mais força do que planejado, consumindo mais combustível e despejando mais poluentes no ar. Os pneus também sofrem no processo, diminuindo sua vida útil. Sem falar na segurança do motorista: na hora de descer uma serra, ou frear com rapidez, o cavalo pode não ter força o suficiente para segurar uma carga além da estabelecida, causando instabilidade e até mesmo provocando um acidente.

O peso em excesso também prejudica as estradas. Caminhões abarrotados além do permitido contribuem para o aumento do número de buracos e do desgaste do asfalto, criando problemas que os estradeiros conhecem bem. Não é à toa que a tolerância para o peso máximo permitido nas fiscalizações diminuiu.

Para que não haja problemas com a lei, tampouco com seu bruto, existem duas dicas que podem ser úteis. A primeira é acomodar a carga de forma correta na carreta, distribuindo o peso ao longo do eixo. A segunda é fazer a medição da tara do caminhão em ordem de marcha antes de liberar o veículo para carregamento, ou seja, colocar o veículo na balança com o tanque de combustível cheio e o motorista na cabine.