Todo dia o estradeiro cruza rodovias estaduais e federais com o objetivo de entregar o frete. Nomes como BR-101, SP-090, RS-110, fazem parte das siglas e nomenclaturas vistas pelo caminho. O que poucos sabem é que aquela combinação de letras e números representam o tipo de estrada e a direção que ela segue.

As rodovias são precedidas de uma sigla, que determina de quem é sua responsabilidade e suas limitações. No caso, as rodovias iniciadas em BR pertencem ao Governo Federal, e as que iniciam com as demais siglas (SP, AC, AM, RJ, RS…) são de responsabilidade dos governos estaduais. As rodovias federais podem ser classificadas da seguinte forma:

Rodovias Radiais: São as que partem de Brasília para os extremos do país. São oito ao todo (BR-010, BR-020, BR-030, BR-040, BR-050, BR-060, BR-070 e BR-080). Exemplo: BR-020, que liga Brasília a Fortaleza.

Rodovias Longitudinais: São aquelas que cortam o Brasil de norte a sul. Sua numeração é dividida de acordo com a sua localização em relação à Capital Federal – de 100 à 150 são as estradas à leste de Brasília, e da 151 à 199 ficam a oeste. Exemplo: BR-153, que liga Marabá (PA) a Aceguá (RS)

Rodovias Transversais: São as vias que cruzam o país na direção leste-oeste. A numeração também é baseada na posição do Distrito Federal – de 200 à 250 ficam as rodovias ao norte de Brasília, e de 251 à 299 as que passam pelo sul. Exemplo: BR-230, que liga Cabedelo (PB) a Benjamin Constant (AM)

Rodovias Diagonais: São as que seguem nos destinos noroeste-sudeste ou nordeste-sudoeste. As numeração vai de 300 a 399, sendo que as pares cruzam o país na direção noroeste-sudeste e as ímpares rumam por nordeste-sudoeste. Exemplo: BR-364, que vai de Limeira (SP) ao Acre.

Rodovias de Ligação: São as que conectam duas rodovias ou pelo menos uma rodovia federal e um ponto importante. A numeração vai de 400 a 499, sendo que as de 400 a 450 passam ao norte do paralelo de Brasília e as de 451 a 499 passam ao sul. Exemplo: BR-407, que vai de Piripiri (PI) a Anajé (BA).

As regras de numeração também servem para as rodovias estaduais.

A quilometragem das rodovias também seguem um sentido: nas radiais, os quilômetros são contados a partir de Brasília. Nas longitudinais, diagonais e de ligação, a numeração começa do ponto mais ao norte em direção ao sul (com exceção da BR-163 e BR-174, que começam do sul para o norte. Nas transversais, a contagem de quilômetros começa do leste para o oeste.