Líder mundial em segurança veicular, o Grupo Volvo realizou, nesta terça-feira, 24, o Seminário Volvo de Tecnologias de Segurança e Comportamento Seguro, no Hotel Pullman em São Paulo.

Durante o evento, pesquisadores da Volvo e outros especialistas mostram as tecnologias mais recentes de segurança para caminhões e os dispositivos que serão utilizados no futuro. Eles também apresentaram os programas criados pela empresa para reduzir os acidentes e a violência no trânsito.

Em sua fala, o presidente do Grupo Volvo América Latina, Roger Alm, disse que a segurança está no DNA da Volvo.

O diretor de segurança da Volvo Trucks Corporation, o sueco Carl-Johan Almqvist, falou sobre as tecnologias lançadas recentemente para aumentar ainda mais a segurança nos caminhões e que em breve se tornarão exigências legais na Europa. Almqvist abordou ainda o que os pesquisadores do Grupo Volvo estão projetando para o futuro neste segmento. “A Volvo é reconhecida globalmente como uma empresa de vanguarda no desenvolvimento e implementação de novas tecnologias. Fabricamos o caminhão mais seguro do mundo”, destaca o diretor.

A pesquisadora brasileira Nereide Tolentino, especialista em desenvolvimento comportamental, mostrou os resultados de uma pesquisa sobre o perfil do motorista brasileiro. E divulgou uma série de informações sobre a categoria, algumas delas preocupantes, como, por exemplo, o fato de mais de 80% dos motoristas indicarem que não gostariam que seus filhos fossem caminhoneiros, por causa da solidão e riscos da atividade, entre outros motivos.

Treinamento de motoristas

Nereide falou também sobre o Transformar, programa de treinamento de motoristas baseado no gerenciamento de riscos da viagem e no cotidiano do caminhoneiro. Desenvolvido pelo Grupo Volvo América Latina, o programa tem contribuído para as empresas diminuírem o número de acidentes com caminhões. ”Um motorista consciente é fator-chave para a segurança na estrada”, diz a pesquisadora.

O Brasil tem um dos trânsitos mais violentos do mundo. Calcula-se que cerca de quatro mil motoristas de caminhões morrem anualmente em acidentes no País. Somente com acidentes no transporte rodoviário de carga, estimam-se aproximadamente R$ 10 bilhões em prejuízos anuais. “Isto não é aceitável. É um problema que precisa ser, no mínimo, atenuado”, declara Solange Fusco, gerente de comunicação corporativa do Grupo Volvo América Latina. “Queremos continuar sendo um motivador para a sociedade discutir este tema, pois o custo em vidas e os prejuízos são enormes”, complementa Anaelse Oliveira, coordenadora do Programa Volvo de Segurança no Trânsito.