O novo Volvo FH possui mais computadores que uma aeronave, traz toda a conectividade presente nos mais modernos telefones celulares e, além de muita segurança e conforto, foi pensado com base emu ma grande preocupação com os impactos no meio ambiente.

Mas você já parou para pensar em como um caminhão ultra-moderno é construído? Como a tecnologia avançada e outros equipamentos se transformam em um veículo que funciona suavemente?

Para que o caminhão fosse construído, foram utilizadas ferramentas modernas de produção. A começar pela cabine, que conta com 340 novas prensas de aço.

Para assegurar a qualidade na montagem, as prensas foram unidas em várias etapas, assegurando, assim, que permanecessem unidas.  O processo de montagem foi realizado com o auxílio de mais de 300 robôs, que se movem com suavidade por toda a extensão da fábrica. Cada robô conta com um programa de computador avançado que fornecia os comandos necessários para a realização das tarefas. O foco, neste caso, era garantir a geometria: quanto mais um componente for prensado, melhor o encaixe das peças e melhor a montagem da cabine.

Entre as tarefas realizadas automaticamente, destaque para a soldagem feita a laser que une os paineis externos. O método resultou em uma perfeição difícil de alcançar com a soldagem convencional.

Neste processo, após algumas horas, as chapas de aço se transformaram na cabine. Em seguida, foi realizada a pintura da peça, em um processo totalmente automático. Cada cabine recebe, em média, 4 litros de tinta. Vale lembrar que o cliente pode escolher uma cor entre mais de 500 opções disponíveis.

Na linha de montagem, a cabine foi equipada com diferentes componentes. E os itens eletrônicos instalados a bordo. Os paineis de vidro foram colados na cabine, uma inovação que está sendo inaugurada junto com o novo Volvo FH. Esse método tornou a cabine mais segura – já que as janelas passaram a fazer parte da estrutura da cabine – e o processo de produção tornou-se mais eficiente e de melhor qualidade.

Após a finalização desse processo, a peça foi transferida para a fábrica de motores, onde o componente foi usinado e montado.

Três dias depois de ter começado apenas como um rolo de aço, a peça foi encaminhada para a seção de chassis. Essa etapa possui uma característica peculiar, pois o chassi foi construído de cabeça para baixo para tornar mais fácil o acesso a todos os seus componentes. Isso significa uma montagem mais ergonômica. Lá os últimos componentes eletrônicos também são encaixados.

É importante ressaltar que, assim como acontece com a produção de aeronaves, existe uma unidade de controle para cada função. Toda a jornada de montagem do caminhão Volvo FH levou em média cinco dias para ser finalizada. A produção do novo caminhão está a todo vapor e os primeiros caminhões já estão prestes a serem entregues a seus proprietários.